segunda-feira, 25 de abril de 2011

Kinder Ovo =)



Salve cari lectores!!
Tudo bem vocês??

Hoje eu vim dar o resultado da enquete que durou aproximadamente um mês, e o resultado foi, thanthanthathannn, Dan Brawn.=) Então a partir de semana que vem eu já começo postando a resenha de ‘Anjos e Demônios’. J

Mas hoje eu tenho um motivo mais especial para postar. Com esse clima de Pascoa, e também para dar uma atualizada, resolvi escrever um  pouco sobre algo que tem tudo a ver com esse fim de semana que passou :Kinder Ovo!
Quem, quando criança e mesmo adulto, não comprou/sonhou/ganhou/... com o Kinder Ovo, ou mais especificadamente com o brinquedinho/miniatura que vem dentro??
Um pouco da História:
O ovo foi criado em 1974 por Michael Ferrero, na Itália, sendo que, atualmente, a marca Ferrero é uma das maiores produtoras de chocolate do mundo.
Ferrero criou um ovo e colocou um brinquedo dentro. Batizado de Kinder (criança em alemão) Surpresa, o novo produto fez a festa da molecada e dos colecionadores que adoram esse tipo de produto. E da onde essa idéia surgiu? Simples. O que a gente gosta mais na Pascoa? Creio que a maioria disse “Ovos de chocolate”. Mas Ferrero pensou, ‘por que ganharmos uma vez ao ano aquilo que mais gostamos?’, aparteir daí ele teve a idéia de fazer um pequeno ovo de chocolate com uma miniatura que poderia saboreada durante o ano todo. Em 37 anos de vida, o ovo Kinder já vendeu 30 milhões de exemplares e mais de 12 mil brinquedos diferentes.
E pra terminar uma piadinha:
Tinha três batalhões do Exército. O general, muito irritado, chega para o Primeiro e diz: – Quem comeu meu Kinder Ovo? E ninguém respondeu. O general mandou matar o Primeiro Batalhão inteiro. Chegando no Segundo Batalhão, o general perguntou a mesma coisa e, novamente, ninguém respondeu. Ele matou o Segundo Batalhão inteiro. No Terceiro, quando o general ia perguntar quem tinha comido o Kinder Ovo dele, um rapaz, imediatamente, falou que tinha sido ele. Aí o general falou: – Então me dê logo a surpresinha!
Mas por que eu estou falando do Kinder Ovo ao invés de falar sobre o chocolate, coelhos, Jesus,...?
Bem, é que dês de pequena eu sou fascinada pelas miniaturas, como a maioria, e se isso não fosse suficiente, eu ainda tenho uma pequena coleção com poucos exemplares (como pode-se perceber nas fotosJ).E eu gostaria muito de aumentar esta coleção, então aqueles que tiverem seus brinquedinhos em casa e queiram trocar, vender, e até mesmo me dar, deixe seu comentário pare que eu possa entrar em contato.
Mas era isso, espero que tenham gostado!
E na próxima semana estaremos aqui novamente!!






P.S.: Eu não vou ficar brava se você comentar!!
Pois eu gostaria muito de sabre o que você achou!
=)


Miniaturas se 'soldados' feitos de cobre
Bugsss!!
J
 :*

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Post Alheio


Salve cari lectores!!
Tudo bem vocês??

Chegamos ao fim do nossa primeira série, mas eu gostaria de apresentar outras, por isso, á duas semanas eu fiz uma enquete aqui do ladinho >>>>>>>>
E ela terminaria hoje, mas eu resolvi prorrogar o termino para o dia 22/04.
Então eu peso :”Votem”.

Para vocês terem uma ideia do que poderão ler e assim fazerem uma boa escolha, eu colocarei os autores e os títulos os livros:
1.      Dan Brown:
Ø  Anjos e Demônio;
Ø  O Código Da Vinci;
Ø  O Símbolo Perdido;
Ø  Fortaleza Digital;

2.    



J. R. R. Tolkien:
Ø  O Hobbit;
Ø  O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel;
Ø  O Senhor dos Anéis - As Duas Torres;
Ø  O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei;
Ø  O Silmarillion;

3




.   




  Vanerio Massimo Manfredi:
Ø  Aléxandros I – O Sonhor de Olympias;
Ø  Aléxandros II – As Areias de Amon;
Ø  Aléxandros III – Os Confins do Mundo;

4.   







Anna Rice:
Ø  A Hora das Bruxas I;
Ø  A Hora das Bruxas II;
Ø  Entrevista com o Vampiro; (podendo ainda ser incorporado outras obras)





5.   


  Stephenie Meyer:
Ø  Crepúsculo;
Ø  Lua Nova;
Ø  Eclipce;





E se você não se interessou por nenhum desses autores, então marque em ‘outros’ e deixe um comentário dando a sua sugestão. J

E enquanto não sai os novos post, vão lendos os que já tão ai.
Lembrando, o meu objetivo é resumir na integra os livros, com começo, meio e também fim.
Espero que votem muito!!
Estarei ansiosa para saber o resultado!

J
Bugs..
:*

segunda-feira, 4 de abril de 2011

A Ultima Batalha – As Crônicas de Nárnia – C. S. Lewis

Salve cari lectores!!
Com vão vocês??
Bem, tudo tem um começo e um fim, e esse vai ser o fim da nossa jornada pelo mundo de Nárnia. Por isso mesmo não podemos adiar o inevitável, então vamos á história:

Em uma terra distante, para lá do Ermo do Lampião, morava um macaco chamado Manhoso e tinha um ‘amigo’ o Confuso, que era um jumento. Manhoso sempre se aproveitava da inocência de Confuso, e em vez se ele ser um amigo, mais parecia com um escravo.

Certo dia, os dois foram para o lago buscar água, então Manhoso avistou alguma coisa no meio do lago, e como sempre mandou Confuso buscar, e para a surpresa dos dois era a pele de um leão. Manhoso, esperto como só vendo, persuadiu Confuso a vestir a capa que ele avia feito com a pele do leão, e se fingir de ‘Aslam’, e Confuso, em sua inocência fez o que o macaco pediu. Foi ai que tudo começou, pois o macaco passou a dar ordens em nome de Aslam, e o povo como ainda o venerava, fez tudo o que ele dizia, mesmo ele não deixando o povo ver o próprio ‘Aslam’. Então quando começaram a derrubar as arvores falantes, o ultimo rei de Nárnia, o Rei Tirian, foi com o seu amigo Precioso, um unicórnio. Ao tentar falar com Aslam, o rei foi preso em uma arvore, e durante a noite teve um estranho sonho, no qual pediu ajuda a Aslan, e ele o levou para um outro mundo, e no dia seguinte apareceu duas das crianças do seu sonho, a pequena Jill e Eustaquio, que o ajudaram a fugir, e após um pouco de treinamento, salvaram o Precioso e seqüestraram ‘Aslam’.

Após tentarem convencerem os Anões que o macaco estava mentido, e eles não acreditavam, as coisas ficavam cada vez pior, pois viram os exércitos Carlormânos se aproximando, por que Manhoso avia feito negócios com eles (estava vendendo os animais falantes e os Anões), e para piorar virão a chegada de Tash (o Deus Carlormâno, que era uma criatura do mau).
Percebendo que não avia outra coisa a fazer alem de lutar, foram ao encontro do Manhoso. E lá aonde todas as noites ele  promovia o espetáculo com Aslam, dessa vez teve que mudar o seu repertorio (já que ele não possuía mais um Aslam), então com a ajuda de novos parceiros, montaram uma nova cena, mas as coisa não saíram como o planejado, pois eles disseram que Aslan estava furioso com eles, e pelo que parecia estar havendo dentro da pequena casainha, era isso mesmo o que estava acontecendo, assim pareceu que ela estava amaldiçoada, então quando Tilian atacou, os Carlormâno pediram reforços e eles que estavam em menor numero foram aprisionados e oferecidos ao Tashaslam (como passaram a chamá-lo, para que tanto os nárnianos quantos os carlormânos, obedecessem a eles, dizendo que Aslam e Tash eram o mesmo Deus).

Mas quando eles foram jogados lá, a coisa mais estranha aconteceu, pois eles não se viram dentro da casinha, mas sim eu um bosque, e lá ele conheceu os grandes reis do passado (O rei Pedro, Edmundo, Lucia, Lady Polly e Lorde Digory), que contaram suas aventuras, e que nem imaginaram o que estava por vir.

Algum tempo depois o grande Aslam apareceu, e todos olhando pela porta aberta ouviram ele dando um rugido ensurdecedor, nisso as estrelas começaram a cair do seu e a pousarem na terra, então eles viram a coisa mais triste de suas vidas, um enorme gigante o maior de todos, o Tempo, que após tocar a sua trombeta, todos os animais bons foram conduzidos a porta enquanto aos outros desapareciam na escuridão, quando todos avião passado, grandes monstros de terras longínquas apareceram e destruíram tudo o que avia lá e logo após morreram e viraram pó, então surgiu o sol e a lua, e o Tempo, com seu braços longos os ajuntou e então Aslam diz: “- Que agora haja um fim”, então o o gigante espremeu o sol até que ele se apaga-se, e tudo ficou escuro e sem vida, e o Grande Rei Pedro trancou a porta, e assim foi o que apareceu ser o fim de Nárnia.

Então eles fizeram o que Aslam disse, e continuaram andando sempre em frente e para cima, e quando viram estavam correndo como mais rápido do que um carro de corrida, e por estranho que pareça, eles tinham certeza de que já avião estado naquele lugar, então eles começaram a subir e a subir, até que chegaram a um portão de ouro, então Lady Polly e Lorde Digory a reconheceram como sendo a grande muralha á qual Digory foi nos primeiros dias da existência de Nárnia, e para a grande surpresa de todos, quem abriu o portão para eles foi o querido Ripchip, dando-os as boas vindas, e lá dentro encontraram-se com todos os grandes personagens desta incrível história, alem de todos os outros que não foram aqui mencionados, e no centro do jardim estavam sentados o rei Franco e a rainha Helena (o primeiro rei e rainha de Nárnia, os quais seus descendentes governaram Nárnia e Arquelândia) .
Tumnus (velho amigo de Lúcia), explicou a ela que eles estavam agora na verdadeira Nárnia, que aquela aonde eles estavam antes era apenas a ‘sombra’ desta. E que depois das montanhas do Alem-mar, depois das terras de Aslam, ficava a nossa verdadeira Terra. Então eles continuara subindo e subindo, te que viram que Aslam estava vindo ao seu encontro.

Então todos tristes, pediram a Aslam que não os mandassem de volta á seu mundo, então ele explicou:”- Não precisa ter medo. Vocês não perceberam? Aconteceu mesmo um acidente com o trem; Seu pai, sua mãe e todos vocês estão mortos, como se costuma dizer nas Terras Sombrias...”

A partir da quele momento as coisa começaram a mudar e então tudo ficou claro, e assim, para nós é o fim da história em que eles viveram felizes para sempre. Mas para eles, esse foi apenas a primeira pagina da ‘Grande História’, aonde nenhum de nós leremos e nem saberemos o seu fim, mas com certeza cada capitulo cera melhor que o anterior.
Mapa de Nárnia
                                                                                     Fim.
Poisé, acabou...
Espero que tenham gostado da nossa aventura!!

Na minha opinião o começo do começo e o fim do fim, foram as melhores partes do livro.
J

Bem, não sobraram muitas curiosidades para esse ultimo post, mas pelo que eu andei lendo, para aquele que adoraram a história e gostariam de assistis os filmes tenho uma péssima noticia, pois, pelo que dizem, eles só lançaram apenas mais um filme, então não veremos nem o começo e nem o fim desta jornada.

Espero que todos tenham gostado!!
E deixem a sua opinião, para que cada vez mais, você possa ler o que mais gosta!!
J

Bugs...
:*


segunda-feira, 28 de março de 2011

A Cadeira de Prata – As Crônicas de Nárnia - C. S. Lewis

Salve cari lectores!!
Com vão vocês??
Mais uma semana passou e eu estou aqui novamente para postar para vocês mais uma história dessa grande aventura. Pois bem, estamos quase no fim, já que esse é o sexto livro, então só falta mais um L.

Tenho certeza que vocês estão curiosos para saber a continuação dessa história, por isso vamos a ela:
Jill estudava em um ‘Colégio Experimental’, e tudo que tenha a palavra experimental no meio não é de se esperar que de muito certo. Ela vivia sendo atormentada pelas garotas da sua turma (e que pela política do colégio, elas não eram punidas), então para se refugiar, ela se escondia atrás do ginásio. Um dia, por coincidência, ela estava lá chorando, quando Eustáquio chegou e, para acalmá-la, contou-lhe uma fantástica história sobre outro mundo, mas antes que ele pudesse acabar, os valentões apareceram, querendo bater nele, então eles correram e correram até encontrar o murro do colégio e uma porta, mas ao abri-la não se depararam com aquilo que imaginavam mais sim com um mundo totalmente diferente.

Eles chegaram há um lugar lindo, mas (como sempre os ‘mas’), eles se depararam com um abismo que parecia não ter fim, e por insistência e descuido de Jill, Eustáquio caiu no abismo, então ela sentiu uma brisa, e quando se viro viu um leão gigante assoprando, ela não acreditou, mas logo percebeu que ele era amigo, e ele explicou que eles tinham uma missão em Nárnia, que era encontrar o único filho de velho rei Caspian X (ele avia desaparecido depois de meses procurando a serpente que avia matado a sua mãe), e que ela deveria guardar os quatro sinais: “1°: Eustáquio deverá cumprimentar um velho amigo, assim,  terá uma grande ajuda; 2°: deverão viajar para as ruínas dos Gigantes; 3°: as ordens descritas na pedra nas ruínas devem ser seguidas; 3°: reconheceram o príncipe, quando encontrado, pois ele pedira em nome de Aslam”.
Jill foi atrás de Eustáquio, como ele, pelo abismo, e desceu por muito e muito tempo, até chegar em Cair Paravel, aonde viram o rei Caspian sair em viajem atrás do filho, com medo Eustáquio não flou com ele, assim o primeiro sinal não foi comprido, mas logo fizeram novos amigos que os ajudaram a encontrar o Brejeiro( um Paulama, ele tem as pernas e os braços bem compridos), que os ajudou a chegar até a terra dos gigantes, e lá encontraram  uma dama que os direcionou para uma casa de gigantes ‘amigáveis’ que deveriam saber aonde ficava as ruínas. Então eles caminharam por dias e mais dias e a neve começou a cair e Jill já não repetia os sinais, até que já não lembrava mais deles. 

Eles chegaram na casa dos gigantes, e caíram na armadilha deles, mas conseguiram fugir antes de virarem jantar, e acabaram encontrando o segundo, e na ‘sorte’, o terceiro sinal. Após uma enorme queda, eles descobriram (dá pior forma) que aviam chegado ao fundo do mundo ou o submundo e após hora e mais horas de viagem chegaram a presença do cavaleiro que acompanhava a dama (que mandou eles para a casa dos gigantes), conheceram a sua história (que a rainha avia salvando a sua vida e ela ia fazer-lo rei, mas ele estava encantado por um feitiço e então ele deveria ser amarado a uma cadeira, pois ele tinha um ataque) então eles presenciaram esse ataque e nele surgiu o ultimo sinal, após soltarem o príncipe Rilian, ele destruiu a cadeira de prata, a que o controlava, mas antes que conseguissem fugir a dama (que era considerada a rainha do Submundo) e tentou convencê-los que só o lá existia e nada mais, mas o Brejeiro descobriu uma forma de se livrar do feitiço  dela e ela num ataque de fúria de transformou em uma serpente, a qual tentou matar Rilian, mas antes que ela conseguisse fazê-lo, eles  á mataram, e assim Rilian vingou a morte de sua mãe.
A partir daqui, eles se dedicaram a fugir daquele lugar que parecia que ia sumir, e descobriram que os escravos da ‘rainha’ também eram escravizados pelos feitiços dela, e mais ainda, que eles eram do fundo do fundo do mundo. Eles fugiram pelo túnel eu a rainha ia utilizar para conquistar o seu novo reino, assim, sem saber chegaram ao coração Nárnia, foram interados das noticias, e na manhã seguinte foram todos a Cair Paravel, ver o retorno e a morte do rei Caspian.

Foi um grande final, pois Aslam os levou novamente para as terras aonde eles aviam entrado naquele novo mundo, e viram o velho e morto Caspian, se tornar jovem e vivo novamente. Então Aslam deixou que Caspian realizasse o seu sonho e que ele poderia passar cinco minutos no nosso mundo para ajudar Jill e Eustáquio, e também disse aos dois que a próxima  vez que vierem  para Nárnia eles não iriam mais voltar.
Então, quando voltaram ao colégio, os seus perseguidores levaram um baita susto, e a diretora foi deseperada ligar para policia, mas quando eles chegaram lá estava tudo normal. Foi feito inquéritos no colégio e ela saiu do cargo de diretora, então ele se tornou um dos melhores colégios dá região. E Jill e Eustáquio continuaram amigos para sempre. Em quanto em Nárnia, o imenso lago que virou o Submundo, os narnianos iam lá cantar se refrescar nos dias de calor.

                                                                                              Continua...
Pois é pessoas, chegamos ao fim de mais uma história, espero que tenham gostado.
Uma das curiosidades desse livro é que antes de ele se chamar de ‘A Cadeira de Prata’, Lewis avia dado a ele outros nomes como: “As Terras Desoladas e Selvagens”, “Noite Abaixo de Nárnia”, “Gnomos Sob Nárnia” e “Novidades Abaixo de Nárnia”.
E o Brejeiro foi baseado no jardineiro de Lewis, Fred Paxford.
J
Bugs..
:*

segunda-feira, 21 de março de 2011

As crônicas de Nárnia – A Viagem do Peregrino da Alvorada – C. S. Lewis


Salve cari lectores!!
Com vão vocês??
Espero que não muito brabos comigo!=)
Antes de começar mais este resumo, gostaria de pedir minhas sinceras desculpas a você, caro leitor! Pois neste mês  que estive ausente foi por uma causa justa, na verdade, por causa de uma amiga que me passou todas as temporadas do seriado ‘Grey’s Anatomy’( que eu vou fazer no mínimo um post sobre ele), e a facul que também me roubou um tempão. Espero que entendam!
Mas chega de enrolação, vamos ao que interessa... A Viagem do Peregrino da Alvorada:
Nossa história começa quando o pai de Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia consegue um emprego nos Estados Unidos, e sua mãe resolve ir junto, como não é possível levar todos os filhos juntos, apenas Susana vai com eles, enquanto Pedro vai ficar na nova casa do professor Kirke (iden aos primeiros post sobre as Crônicas) e Edmundo e Lúcia ficaram na casa dos tios, mas não gostaram nada da idéia, pois lá também mora o seu primo Eustáquio, que era o perfeito exemplo de pessoa que vivia para incomodar os outros.
Quadro
Edmundo e Lúcia, sempre que podiam, aproveitavam o tempo sem o primo para conversar sobre Nárnia, e nesta tarde eles estavam sentados na cama de Lúcia observando o único quadro que gostavam da casa, era um quadro que representava um barco vindo em nossa direção, mas não qualquer barco, para eles era um verdadeiro barco de Nárnia, com uma cabeça de Dragão na proa e uma grande vela em um tom púrpura. Tudo ia bem até que Eustáquio chegou, e queria saber por que eles gostavam tanto daquele quadro, em tão Lúcia respondeu: -“Por que o navio parece que está andando, a água parece mesmo molhada , e as ondas sobem e descem.” Foi quando todos prestaram mais  atenção e perceberam que isto esta acontecendo mesmo, e de repente uma enorme onda sai de dentro do quadro, encharcando todos eles, Eustáquio revoltado, resolve tentar quebrar o quadro, e Edmundo sabendo que aquele quadro era uma passagem para Nárnia o tenta impedir, e Lúcia faz o mesmo, mas quando percebem já estavam tentando nadar na que le imenso mar, por sorte a tripulação do navio os avistou e os tirou da água. Lúcia e Edmundo ficaram extremamente felizes quando descobriram quem era o dono do navio, pois era o Rei Caspian, que avia ajuntado uma tripulação e resolveu ir atrás dos sete amigos de seu pai, que avião sidos mandados a uma viagem pelo seu tio, mas nenhum avia voltado, e ele agora estava disposto a encontrá-los e se fosse o caso, vingar-lhe suas mortes. Mas Ripship (o comandante dos ratos) tinha planos maiores,  ele gostaria de navegar até o estremo Oriente, até as terras de Aslan. O único que não gostou da idéia foi Eustáquio que se sentia muito enjoado, mas como ele não sabia como voltar, se conformou com a viagem.
A primeira parada foi nas Ilhas Solitárias, aonde os reis de Nárnia a muito não pisavam, e agora avia se transformado em um mercado de escravos, mas não por muito tempo, pois com a ajuda de lorde Bern, o primeiro dos seis companheiros, e após terem sidos confundidos como escravos, eles reivindicaram o trono das ilhas e expulsaram os traficantes de lá. Após reabastecer o navio continuaram sua viagem , e em um certo dia, do nada, começa uma terrível tempestade que durou treze dias , e no seu fim resultou numa calmaria, e aos poucos o vento voltou a sopra, mas foi apenas oito dias após que avistaram uma ilha ao longe, aonde atracaram.
Nesta ilha Eustáquio se mete em uma encrenca, e vira um dragão, mas apartir daí ele se torna mais amigável, e Caspian  supôs que em essa ilha o segundo companheiro de seu pai avia morrido, o lorde Octaciano, e batizou a ilha de Ilha do Dragão.
Um pouco mais adiante encontraram outra ilha desabitada que deram o nome de Ilha Queimada, e seguiram viajem. Mas os bons ventos trouxeram outra tempestade, e a tempestade trouxe uma coisa pior, uma serpente marinha, que tentou afundar o navio, e por pouco quase conseguiu. Apos alguns dias encontram uma nova ilha, aonde puderam buscar água, e em uma expedição pela ilha descobriam o que aconteceu com o terceiro fidalgo (companheiro do pai de Caspian), eles encontraram um riacho que as águas encantadas transformavam tudo em ouro. E batizaram a ilha de Água da Morte. E assim prosseguiram a viagem.
Após muitos dias de viagem atracaram em uma ilha aonde eles ouviam vozes,os Tontópoles (que eram invisíveis), que lhe contaram a história da ilha e Lúcia resolveu ajudar a desfazer o encanto que eles mesmos aviam colocado, e foi até o quarto do mago e leu o seu livro de encantos e desfez o feitiço, e se encontrou com Aslan e o mago, que contou a verdadeira história. Assim partiram mas uma vez, e agora da Ilha dos Tolos.
Após duas semanas de viagem, Edmundo avistou o que ele achava ser uma ilha, mas quanto mais se aproximaram menos achavam que era uma. Até que perceberam que era um nevoeiro muito denso, e lá dentro encontra o quarto fidalgo, lorde Rupe, que avia ficado louco, e as sua loucura tinha um bom motivo, pois aquela ilha se chamava Ilha Negra, aonde os pesadelos se tornavam reais. Quando eles saíram de lá ela desapareceu.


moça, filha de uma estrela
Seguiram a diante, navegando por águas tranqüilas até chegarem em uma ilha aparentemente deserta, até encontrarem ruínas do que foi um grande salão com uma enorme mesa no centro com um banquete real e três estranhas figuras dormindo sentadas , e quando já estava amanhecendo uma moça veio e explicou o que avia acontecido e logo após chegou seu pai e disse que para ele livrarem o encanto dos três últimos fidalgos, eles deveriam ir até o fim do mundo e um de seus passageiro deveria ficar lá, e imediatamente Ripchip se prontificou. E assim eles seguram para o fim do mundo, e quanto mais próximos eles chegavam menos eles precisavam comer e dormir, e todos se sentiam muito bem , até que chegaram bem perto do fim do mundo, então Ripchip, Lúcia, Edmundo e Eustáquio  partiram sozinhos pro fim da jornada. Ripchip pasou pela cortina de água que separava o fim do mundo e as outras três crianças seguiram os lírios até se encontrarem com Aslan e ele os mandarem de volta para sua casa, avisando-os que eles não voltariam mais a Nárnia. Considerações finais: Caspian e sua tripulação voltou a salvo para Nárnia com os quatro fidalgos, e Caspian se casou com a moça da ilha. E quanto a Eustáquio, todos notaram sua mudança de comportamento e acharam ótimo isso.
                                                                       Continua...
Bem, aqui chega ao fim do quinto livro, espero que tenham gostado!!
=)
Ripchip
Hoje não colocarei curiosidades, pois, já está bem extenso este post, pois não é fácil narrar uma aventura dessas em poucas linhas.
Bugs...
:*

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Príncipe Caspian – As Crônicas de Nárnia – C. S. Lewis

Salve cari lectores!!
 Com vão vocês??
Espero que bem!
Não deu tempo antes para postar, por que to sem net em casa, portanto, só agora dou a honra das minhas palavras...
=D
O que vocês estão achando da nossa aventura?
Hoje falarei um pouquinho sobre o quarto livro da série, ‘O Príncipe Caspian’...
Anão levando os quatro irmãos á batalha
“Era uma vez quatro crianças – Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia – que se meteram numa aventura extraordinária” (para os que não se lembram, leia ‘O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa’). Mas isso já avia acontecido á um ano atrás, agora eles estavam numa estação de trem, voltando para seus colégios. Até agora parecia que eles continuavam em férias, mas agora que tava chegando a hora de se separar as coisas estavam ficando sérias, ainda mais que esse lugar era numa estação rural, aonde só avia eles. E de repente Lúcia do nada dá um grito e logo todo sentem estarem sendo puxado, e em um piscar de olhos, estão todos em um lugar aonde parece ser uma ilha.

Anões que ajudaram Caspian

Lúcia, Pedro, Caspian, Susana e Edmundo
E lá, em pouco tempo descobrem que tinham voltado para Nárnia, mas não para a Nárnia em que eles eram reis, mas sim que se avia passado anos daquela época. E lá agudaram um anão que contou a história do príncipe da ‘velha Nárnia’(pois, Nárnia foi invadida pelos tarlomanos, que baniram os habitantes ‘mágicos’ de Nárnia), e Caspian é descendente desse povo, mas não concordava com o seu Tio (que se intitulava rei). Caspian seria seu sucessor, mas o ‘rei’ acabou tendo um filho assim com a sua vida ameaçado, resolveu fugir com a ajuda de um amigo, e em sua jornada acabou encontrando com os poucos remanescentes da velha Nárnia, que lhe agudaram e apoiaram em sua Guerra contra o Rei. Como eles estavam em menor numero e estavam tendo muitas baixas, e como sua ultima esperança, tocaram a trompa da Rainha Susana (que ela avia perdido quando avia voltado para casa) esperando que um dos antigos reis ou o próprio Aslam viesse ajudá-los, e foi isso que, mas não como eles aviam esperado. Pois o Anão que os quatro irmãos aviam encontrado era um dos mensageiros de Caspian, e ele deveria levá-los até ele, mas eles estavam longe do local da batalha, e a Nárnia que ele aviam conhecido como a ‘palma da mão’, já não existia. Assim demoraram para chegar lá, e só conseguiram com a ajuda de Aslam e Lúcia, após um enorme transtorno.
 Pedro e Edmundo foram na frente ajudar Caspian, enquanto as meninas ficaram com Aslam invocando os seres da floresta.
Assim, Pedro venceu o rei e deu o direito a Caspian de governar Nárnia, e Aslan contou a verdadeira história do telmarinos (eles eram do nosso mundo[piratas], e seus antepassados naufragaram em uma ilha e lá encontraram uma venda para o mundo de Nárnia, aonde se multiplicaram em uma cidade chamada Telmar,e resolveram dominar tudo) e deu a eles a oportunidade de voltar para sua verdadeira terra, e assim, junto com eles, as quatro crianças voltaram para a estação felizes por terem a oportunidade de voltarem para Nárnia, mesmo Pedro e Susana sabendo que não poderiam voltar para aquelas terras maravilhosas. E eles seguiram a sua viajem.
                                                                  Continua...   

E ai pessoas, o que tão achando?? (deixem seus comentários!!)
=)

 Então vamos as curiosidades:
-Roger Lancelyn Green sugestionou chamar os livros de “As Crônicas de Nárnia”.
 • De acordo com a linha do tempo de Lewis, no ano de 302 os calormanos que habitavam Telmar comportaram-se muito maldosamente e Aslam os transformou em bestas mudas (ainda perdura o debate se esses habitantes eram humanos ou animais falantes).
• Nárnia foi o nome de uma antiga cidade italiana, agora chamada Narni.

• A guerra entre Miraz e Caspian é chamada A Guerra da Libertação.

• Os piratas que deram origem aos telmarinos deixaram nosso mundo entre 1933 e 1940, quando ainda existiam piratas nos Mares do Sul. Eles chegaram em Telmar no ano narniano de 460.
• Esta é a 1ª vez que a série de C.S. Lewis é adaptada para o cinema, já que as anteriores foram para a TV. As demais adaptações foram The Lion, the Witch and the Wardrobe (1967), The Lion, the Witch and the Wardrobe (1979) e The Lion, the Witch and the Wardrobe. Bugs..          :*

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O cavalo e o menino - As Crônicas de Nárnia

Salve cari lectores!!

Como vocês estão??
Espero que tenham gostado da nossa ultima história!
Estão prontos para a nossa próxima a aventura??
...prontos ou não, lá vamos nós!!...

Hoje vou contar para você a história que começou na Calormânia e foi acabar em Nárnia, na época em que Pedro era o Grande Rei de Nárnia. No estremo sul da Calormânia vivia um pescador e um menino o qual chamava de filho, e o seu nome era Shasta. Eles viviam uma vida pacata de pescadores, vendendo o seu produto na feira, mas Shasta não se interessava muito por isso, ele queria mesmo era conhecer as terras do Norte e seus mistérios.
Um dia chegou um homem, o qual seu ‘pai’ o recebeu muito bem, e o chamou por tarcaã (um posto importante naquela época). Os dois homens estavam conversando de noite sem saber que Shasta estava ouvindo, e assim ele descobriu que não era filho do pescador mas sim que tinha sido encontrado numa canoa que veio do mar. E também ficou sabendo que o pescador queria vende-lo ao tarcaã, com isso ele resolveu fugir, pois não sabia se o tarcaã seria um bom atrão, e ele sabia que a única coisa que saberia se eler ou não era um bom patrão era o seu cavalo, mas como ele sabia muito bem que cavalos não falavam, não se importou em perguntar para ele o que ele achava do seu patrão, e para a sua surpresa ele respondeu, e disse que se chamava Brirri-rini-brini-ruri-rá(pois ele é uma cavalo narniano, que foi seqüestrado quando era apenas um potrinho, ele queria voltar para lá), mas Shasta só o chamava de Bri.
Assim, eles se tornaram amigos e planejaram a sua fuga, com Bri ensinado Shasta a aprender a cavalgar, andando de noite e descansando de dia, fazendo o possível para desviar das cidades maiores, sempre indo para o norte rumo a Nárnia.
Após várias semanas de cavalgada, agora eles estavam margeando o mar pela floresta, quando Bri percebeu que estavam sendo seguidos por outro cavalo, tão veloz quanto ele, foi quando ele viu que não tinha apenas uma cavalo mais sim um ou dois leões perseguido-os. Eles só foram para depois que nadaram um braço de mar, e lá conheceram quem estava no outro cavalo, ou melhor, na égua. Então eles se apresentam quem montava a égua era uma garota mais ou menos da idade de Shasta, ela se chama Aravis e é uma tarcaína (filha/mulher de um tarcaã), e sua égua chama-se Huin (que também é narniana, e também foi seqüestrada, e sucessivamente, também queria voltar para Nárnia). Aravis não se deu muito bem, a primeira vista, com Shasta, ao contrario de Bri, que se tornaram logo amigos e decidiram que deveriam seguir juntos para o Norte (para Nárnia). Assim, Aravis contou a sua história, de que seu pai queria que ela casasse com um homem (com a idade para ser seu pai) só por que ele era bem sucedido e muito rico, por isso ela fugiu (deixando a sua criada em maus lençóis!).
Eles continuaram a sua viagem até Tashbaan ( a maior cidade, aonde vive o Rei Trisror – que ele viva para sempre!), ali não teria como eles dar a volta pela cidade, então o jeito foi entrarem pelo portão principal pela manha no horário mais movimentado, para não serem percebidos, e se acaso algum deles se perdesse do resto, eles deveriam se encontrar nas Tumbas dos Antigos Reis. Não foi muito difisil eles entrarem na cidade, o problema foi quando o cortejo com os fizitantes de Nárnia passara e confundiram Shasta com o príncipe de Arquelândia (cidade vizinha a Nárnia), que era muito amigos deles, quando Aravis viu isso ficou desorientada, e logo em seguida fui uma antiga amiga passando e Aravis a fez levá-la junto para seu castelo com os seus cavalos. E assim, Shasta conheceu o Rei Edmundo, e a Rainha Susana, e o motivo pelo qual eles estavam ali (o príncipe Rabadash queria se casar com Susana, mas agora ela já não queria mais se casar com ele). Em quanto isso Aravis contava toda a sua historia para a sua amiga, que resolver ajudá-la.
Em quanto Shasta parecia dormir, o Rei Edmundo e a Rainha Susana conversavam com os seus fieis ajudantes, sobre o casamento, e planejara uma fuga (que foi bem sucedida). Quando eles saíram do quarto Shasta viu um garoto igual a ele pular a janela, mas ele não tinha muito tempo para conversar, assim o garoto explicou como sair da cidade, e ele logo fugiu dali.
Quando a amida de Aravais ajudava ela a fugir por m portão no castelo de Trsror, elas acabaram descobrindo que os visitantes de Nárnia aviam fugido e que Rabadsh estava furioso que queria de qualquer jeito se casar com Susana, e para isso ia invadir Arquelândia e depois Nárnia, e foi isso que ele fez, levando com sigo mais duzentos escudeiros. Assim, Aravis foi correndo contar a Shasta e a Bri e Huin, o que tina ouvido, e todos foram atravessando o deserto que separava Tasshbaan de Arquelândia. Chegaram muito cansados, mas sabiam que deveriam continuas, pois o exercito estava logo atrás deles, e quando estavam quase chegando em uma casa, quando um leão apareceu novamente e atacou Aravis, mas Shasta a protegeu até chegarem ao eremita (dono da casa), que deu ordens a Shasta de continuar correndo o mais rápido possivel e linha reta que encontraria o Rei Luna (rei de Arquelândia), e assim o fez, até o encontra e lhe contar tudo o que avia acontecido, então o Rei voltou correndo para seu castelo, mas Shasta se perdeu no caminho e se encontrou com o leão que o tinha perseguido desde o começo da história, mas não era qualquer leão mas sim Aslan, que o levou para Nárnia, aonde ele mandou uma mensagem para os reis daquela terra e descansou com os anões, até que o exercito de Nárnia chegou lá, e ele foi junto com o seu novo amigo Corin (o garoto, o qual ele foi confundido em Tasshbaan). Quando chegaram em Anvar (no castelo do rei) os homens de Rabadesh estavam tentando derrubar a porta, mas não deu tempo para isso, pois eles (narnianos) atacaram, o felinos por um lado os gigantes por outro, as arqueiros posicionados e a cavalaria indo direto contra eles, foi uma vitória fácil mas vergonhosa para Rabadesh, que não se conformava que avia perdido. E assim que Shasta ou melhor, Cor ficou sabendo de sua verdadeira história (que ele foi profetizado, que um dia ele salvaria Anvar de um perigo, por isso que inimigos de seu pai o seu sequestraram, e em uma batalha naval ele avia sido perdido, e acabou vivendo com o pescador), voltou correndo a casa do eremita para encontrar seus amigos e levar Aravis (que também se encontrou com Aslan, e ficou sabendo que os ferimentos que ele avia feito nela, era por causa de sua criada, que ela deveria sofrer o messmo que sua criada sofreu) com ele para morar no castelo e Bri (que também vim Aslan, e aprendera uma bela lição) e Huin para Nárnia.
Quanto a Rabadesh, ele foi feito prisioneiro, mas por causa de sua ignorância e seu jeito rude/cainha de ser, Aslan o transformou em um burro e foi mandado de volta para casa, se transformando em humano na frente de todo o seu povo e não podendo sair a mais de dez quilômetros de seu castelo, assim ele foi um bom rei quando o seu pai morreu.
Quanto a Cor (Shasta), ele virou rei, e apesar de suas brigas com Aravis, eles perceberam que não poderiam mais viver separados, então eles se casaram e quando o Rei Luna morreu os dois viraram rei e rainha de Anvar.
Quanto a Bri e Huin, foram para Nárnia aonde viveram felizes, mas separados, sempre indo vizitar seus amigos em Anvar.
                                                                                         Continua....
 Então vamos as curiosidades:
• “O Cavalo e Seu Menino” foi completado antes de “A Cadeira de Prata”, embora tenha sido publicado depois.
• Pauline Baynes criou aproximadamente 350 desenhos para as Crônicas de Nárnia.
• Seis filmes das Crônicas foram feitos para a TV: uma versão em desenho animado de “O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa” em 1979; versões com atores reais de “O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa”, “Príncipe Caspian e A Viagem do Peregrino da Alvorada” (combinados em um só filme) e “A Cadeira de Prata” nos anos 80 (que passaram na BBC); e uma versão menos conhecida e em preto e branco de “O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa” pela England’s ITV em 1968.

Eu sei, eu sei... de empolguei de novo, mas tudo bem, ai está o terceiro livro da série ‘As Crônicas de Nárnia’. Espero que tenham gostado!
Bugs...
:*